Nem o céu é o limite para a AEL Sistemas

COMPANHIA EQUIPA JATOS DA EMBRAER, BLINDADOS DO EXÉRCITO E ATÉ AVIÕES DA FAB. EM FRANCA EXPANSÃO, A EMPRESA COM SEDE EM PORTO ALEGRE ESCOLHEU A HT SOLUTIONS PARA AMPLIAR E MODERNIZAR SUA INFRAESTRUTURA DE REDE

NO CÉU, NA TERRA, NO MAR! De carona com as Forças Armadas do Brasil, a bordo de jatos da Embraer ou até em satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, as soluções tecnológicas da AEL Sistemas são sinônimo de inovação e qualidade nas áreas de defesa, espaço, segurança e logística. Entre os projetos recentes, destacam-se um sistema Vant (veículo aéreo não tripulado) para a Força Aérea Brasileira e uma estação de armas para um novo blindado do Exército.

Quadruplicando sua planta na capital gaúcha para instalar um moderno Centro Tecnológico de Sistemas de Defesa, a AEL vive um momento de forte crescimento. Após identificar a necessidade de expandir e modernizar sua infraestrutura de rede para acompanhar os negócios, a companhia escolheu a HT Solutions. “Necessidades como mobilidade, telefonia IP e tráfego de vídeo não seriam atendidas de forma robusta com os equipamentos legados que vinham sendo utilizados”, explica o gerente de contas corporativas Jeferson Lampert, que trabalhou no projeto, acompanhado pelo gerente de TI da AEL Sistemas, Herold Bauer.

Para começar, foi realizado o upgrade da rede como um todo – de FastEthernet para Gigabit Ethernet, multiplicando a velocidade de transferência para atender também às necessidades futuras. A topologia em três camadas (acesso, distribuição e core – com redundância e alta disponibilidade nas duas últimas) organiza o fluxo de pacotes, criando uma via exclusiva para o tráfego de maior importância, envolvendo servidores, storages e aplicações. Na eventualidade de um switch apresentar problema, a redundância assegura que a rede não pare. Além disso, a estrutura em anel (ring) na camada de acesso habilita convergência rápida, de no máximo 50 milissegundos, enquanto o empilhamento nas camadas de distribuição e core permite gerenciar múltiplos switches como se fossem um só, possibilitando ainda o aumento da capacidade de comutação com a simples adição de switches à pilha.

“Percebemos um excelente custo-benefício nesse projeto”, avalia Herold Bauer. Para o gerente de TI da AEL, houve nítido ganho técnico com a topologia em três camadas e alta disponibilidade.

Por fim, implantou-se o IMC (Intelligent Management Center), que oferece gerenciamento pontual e proativo de toda a infraestrutura cabeada e wireless, provendo informações de desempenho, configurações, topologias e tráfego, entre outros, de todos os ativos de redes.

Outros cases